• 7 Tendências para o Marketing de Conteúdo em 2016

7 Tendências para o Marketing de Conteúdo em 2016

O que procuram os utilizadores da Internet e que tecnologias estão (ou vão) provocar maior impacto no mercado da produção para o marketing de conteúdo? O que podem os profissionais desta área esperar?

Entre várias tendências assinaladas por diversos especialistas para o marketing de conteúdo, a Markedu partilha as de Jayson DeMers, colaborador da Forbes.

Diz este especialista que o marketing de conteúdo tem vivido altos e baixos desde que, nos últimos anos, se tornou numa estratégia de marketing online.

“Se um dia este foi um mercado dominado por aquilo que qualquer tipo de website podia produzir – o mais elevado volume de conteúdos escritos com qualidade – agora, evoluiu para um mercado onde as ligações (links) inseridas nos conteúdos, a diversidade de formatos e a capacidade para se ligar a uma audiência através de múltiplos meios ajuda a determinar o seu sucesso e o seu ROI”, afirma Jayson DeMers.

Hoje, os marketers de conteúdos têm de analisar situações subjectivas, têm de se adaptar mais rapidamente a novas tecnologias e, daqui para a frente, vai ser cada vez mais complexo. O marketing de conteúdo vai atravessar mudanças profundas durante o próximo ano e se quiser estar à frente da concorrência, tem de se preparar para elas:

1. A agregação de conteúdos vai colocar o marketing de conteúdo nas mãos dos utilizadores

Qual a melhor forma de conhecer a opinião pública, senão através de um estudo de larga escala, capaz de obter bits de informação de milhares de indivíduos para ilustrar um cenário mais abrangente? No ano 2016, este princípio vai ser aplicado aos conteúdos.

Twitter Project Lightning - 7 Tendências para o Marketing de Conteúdo em 2016Trata-se de software mais complexo, capaz de obter informação de milhões de perfis sociais e de os juntar, para criar uma história coerente. Por exemplo, a nova funcionalidade do Twitter, o Project Lightning, vai coleccionar imagens, vídeos e posts dos utilizadores para criar histórias e especificidades individuais, apresentando-as na área das novidades, assim como a outros eventos especiais.

Este aspecto pode ameaçar o alcance (reach) do marketing de conteúdo na área da cobertura de novidades, mas também pode criar oportunidades de publicações alternativas e prometedoras.

2. Os algoritmos vão ameaçar os freelancers em todo o lado

Segundo algumas estimativas, já deve ter lido pelo menos um artigo escrito por um algoritmo robótico e nem sequer reparou. Hoje, os algoritmos de jornalismo são capazes de produzir artigos sobre tópicos simples, como o desporto e a meteorologia. Mas dentro em breve, vão ser capazes de executar tarefas muito mais sofisticadas.

Outros Artigos:  Previsões para o Email Marketing em 2018 [Infográfico]

Os freelancers e os profissionais a part-time têm sido rentáveis para a produção dos conteúdos diários de muitas empresas, mas em 2016 podem começar a ser substituídos por algoritmos automatizados.

Temas complexos requerem a intervenção da mão humana – pelo menos durante mais alguns uns anos – mas pode esperar pelo final do próximo ano para ver uma mancha de algoritmos neste mercado.

3. O Knowledge Graph da Google e as Respostas Instantâneas vão precisar de mudar na direcção dos conteúdos de longo formato

Azul Knowledge Graph 7 Tendências para os Conteúdos de Marketing em 2016

Apesar do Knowledge Graph da Google existir desde 2012, só muito recentemente é que o seu baú se abriu para algo verdadeiramente impressionante. Parece que agora, a maior parte das consultas de pesquisa long-tail fornecem respostas e informações aos utilizadores sobre questões comuns.

Por sua vez, assistentes digitais como o Siri e o Cortana estão a tentar produzir algo similar. Esta forma sofisticada de fornecer respostas está a acabar com a necessidade de clicar em websites, para encontrar respostas, reduzindo assim o tráfego dos websites tradicionais.

Resumindo, o tráfego para as páginas web que ofereçam respostas rápidas vai começar a diminuir, o que vai forçar os marketers de conteúdos a encontrar refúgio em tópicos mais complexos e difíceis.

4. Os social media vão oferecer novas ferramentas de publicação

O Facebook deu início a uma tendência quando introduziu os Instant Articles (Artigos Instantâneos). Basicamente, o Facebook percebeu que a partilha de artigos na sua plataforma estava a ter mais visibilidade e mais acessos do que os artigos nos websites nativos onde eram publicados.

Para resolver esta dissonância, os Instant Articles vieram trazer uma opção alternativa aos editores: publicar os artigos directamente na plataforma. O Google está agora a introduzir a sua própria versão, por isso podemos esperar ver este novo tipo de publicação a espalhar-se por uma vasta variedade de meios digitais e sociais.

5. Os conteúdos vão necessitar de meios mais visuais

Conteudos Visuais 7 Tendências para os Conteúdos de Marketing em 2016Há várias razões para que os conteúdos visuais se continuem a tornar mais importantes. As ligações wireless (sem fios) e a velocidade da Internet vão continuar a aumentar, oferecendo aos utilizadores maior capacidade para
acederem a imagens e a vídeos.

O mercado dos conteúdos escritos também está a ficar cada vez mais saturado, levando os utilizadores a pedir formas de conteúdos visuais. E os utilizadores estão-se a tornar impacientes, necessitando de formatos de comunicação mais rápidos e instantâneos.

Outros Artigos:  Previsões para o Email Marketing em 2018 [Infográfico]

O resultado final é que em 2016 vai haver uma maior procura por vídeos e outras formas de conteúdos visuais.

6. Vêm aí os conteúdos interactivos

Com newsfeeds personalizáveis e resultados de pesquisa obtidos à medida das necessidades, os utilizadores começam a habituar-se a obter resultados personalizados no mundo digital.

Em breve, isto será aplicado aos conteúdos, consoante os utilizadores procurarem por conteúdos que se actualizem ou sejam capazes de lhes responder de forma célere.

A chegada dos Oculus Rift em 2016, a par de dezenas de outros dispositivos de realidade virtual, poderia servir como a faísca que vai finalmente introduzir a personalização e a interactividade como um meio prático para fornecer conteúdos. Com realidade virtual ou sem ela, a procura de conteúdos personalizados vai continuar a crescer.

7. A concorrência vai disparar de forma excepcional

O mercado dos conteúdos já está saturado, mas a concorrência só vai continuar a aumentar em 2016. Algoritmos, novos formatos e novas tecnologias estão a tornar mais simples e mais barato o envolvimento dos negócios com o marketing de conteúdo.

O resultado final vai ser o de um mercado inundado, onde apenas os melhores dos melhores vão ter uma visibilidade significativa.

Uma nova era para o marketing de conteúdo

Estas 7 tendências marcam o início de uma nova era para o marketing de conteúdo. Alguns, como o Knowledge Graph da Google e as Respostas Instantâneas, ameaçam o trabalho nos conteúdos de marketing em geral, enquanto outros, como os conteúdos gerados através de algoritmos, podem ser adaptados, podendo tirar outro partido deles.

Observe com clareza todos estes desenvolvimentos, faça mudanças onde puder e aprecie a viagem no desenvolvimento do marketing de conteúdo em 2016.

Este texto foi escrito com base num artigo de Jayson DeMers publicado na Forbes. Para aceder à versão original, clique aqui.

Gostou deste artigo? Se tiver alguma sugestão ou comentário, utilize a ferramenta de comentários desta página. Caso ainda não seja subscritor da newsletter da Markedu, pode fazê-lo aqui.

Consulte a lista dos próximos eventos realizados pela Markedu e veja se algum dos nossos webinars, workshops ou masterclasses aborda este tema

Partilhe o artigo com os seus amigos e colegas nas redes sociais

By |2016-12-14T16:39:39+00:00Dezembro 7th, 2015|Marketing Digital|

About the Author:

Como jornalista especializou-se em TI e Gestão, tendo escrito em diversas publicações desde o ano 2000. Foi correspondente do JN e da TSF em Paris.

Leave A Comment

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.